– Maio 2018 –

“O seu pé é seu, sua mão é sua, minha boca é minha, meu nariz também é meu, todo meu corpo é meu, todo seu corpo é seu, respeite meu corpo, ele é só propriedade minha!”

    “Tristeza, mudança de comportamento inusitado, dificuldades ao sentar, ao urinar, pode ser um sinal de violência sexual. O mais importante é ficar atento e conversar sobre essas questões. Quando uma criança tenta falar alguma coisa ela deve sempre sentir-se ouvida e acolhida.  Constatando o abuso é importante procurar imediatamente as autoridades locais e denunciar o caso”, falou a educadora social do Grupo AdoleScER, Renata Melo.

O disque 100 é o número indicado para receber as denuncia, que encaminha às autoridades intervirem. O Disque 100 recebe por dia 50 denúncias de casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Já é um número muito alto, mas os casos não denunciados são ainda maiores. Depende da população se conscientizar e também não ficar calada, denunciando os casos e consequentemente fazendo com que as crianças e adolescentes fiquem mais protegidas.

Para divulgar mais o tema e estimular a população a ser mais atenta, o Grupo AdoleScER realizou no dia 16 de Maio pela manhã a sua 6ª Caminhada de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, na comunidade de Roda de Fogo, em parceria com a Escola Estadual Pintor Lauro Villares. O tema desse ano foi: “Chega de assédio sexual contra crianças e adolescentes. Diga Não. É nosso dever proteger!” Participaram por volta de 160 adolescentes e jovens da instituição das comunidades Roda de Fogo, Caranguejo/Tabaiares, Santo Amaro e Santa Luzia e no entorno de 100 alunos da referida escola. Com Maracatu, apresentações teatrais e lúdicas, músicas e falas de conscientização pelos próprios adolescentes, professores, agentes de saúde e do conselho tutelar, foi chamado a atenção da comunidade para um tema tão importante e presente.

As ruas da comunidade foram ocupadas pela população que decidiu dar um basta nos abusos contra crianças e adolescentes, com muitas pessoas, muito barulho e muita conscientização. O principal objetivo, foi: não fechar os olhos, denuncie, disque100! Para uma comunidade mais pacífica em todos os sentidos.

“Tem muitos casos de violência e abuso sexual contra crianças e adolescentes em Roda de Fogo. Nós da escola percebemos sempre. Por isso é tão importante chamar mais atenção da população e denunciar”, colocou a diretora Dalka Tavares da escola Pintor Lauro Villares, da comunidade de Roda de Fogo.

Importante ressaltar que tanto menina como menino podem sofrer violência. Constatando o abuso é importante procurar imediatamente as autoridades locais e denunciar o caso: “Vamos abrir nossos olhos, vamos abrir nossa boca, quem ver e não denúncia é cumplice!” enfatiza  o educador Igor Luan. “A tristeza no olhar de quem teve sua infância rompida é uma das coisas mais triste dessa vida, não deixe isso acontecer, o melhor meio para exterminar o abuso e exploração sexual é denunciando, fiquem atentos, disque 100”.

Foram construídas paródias e músicas pelos/as adolescentes líderes de opinião em Roda de Fogo, escute eles aqui em baixo, confere a fotonovela dos/as adolescentes líderes de opinião de Santa Luzia e o “lambe-lambe” dos/as adolescentes líderes de opinião de Santo Amaro. O vídeo do ato, segue aqui e no nosso canal do youtube.

Christina Schug
Antropóloga
Cooperante Internacional

VIDEO

FOTONOVELA

FANZINE

MÚSICAS