Com a chegada da Pandemia do novo coravírus, no Estado de Pernambuco, o Grupo AdoleScER têm buscado alternativas de prevenir e reduzir os seus impactos negativos frente à população das comunidades onde a instituição atua, pois se os danos que acometem nos territórios mais de classe média já são grandes, esse processo (contaminação, óbitos, desemprego, fome, precarização da saúde), se dá de forma mais intensa nas periferias, onde a ausência do estado em relação a garantia dos direitos básicos do povo é gritante. Nesse sentido, a partir de uma parceria de anos com a instituição Grupo Ruas e Praças está sendo desenvolvido em um período de 03 meses (maio-julho) o Projeto Emergencial contra a Covid-19, apoiado por Caritas Alemã.

A partir de um sólido trabalho em REDE nas comunidades em que o Grupo AdoleScER atua há 19 anos muitas ações estão sendo postas em prática. Considerando um mapeamento de famílias em situação de maior vulnerabilidade e garantindo também o apoio às famílias inscritas na insituição e os voluntários que tem ajudado no andamento dos projetos foram doados à população os seguintes itens: Kits de Limpeza, kits de Higiene, Álcool em Gel, Sabonete Líquido, Cestas Básicas, Cestas de Produtos Orgânicos adquiridos a partir do estímulo à Agricultura Familiar, instalações de estações de água em pontos estratégicos das comunidades para que a população possa higienizar as mãos continuamente, além da articulação com costureiras voluntárias de Santo Amaro, Caranguejo Tabaiares e de territórios próximos que, sabendo da proposta do projeto, não hesitaram em contribuir e desde então vem dedicado parte do seu tempo ao corte, costura e acabamento de inúmeras máscaras que estão sendo distribuídas nas comunidades, igualmente como a rede de parceiros que estão também neste projeto no dia a dia, na tentativa de reduzir as violências.

As ações de comunicação estão sendo inseridas em todas as atividades na base que visam alcançar a população através da informação e sensibilização quanto aos cuidados que todos devem adotar para não contrair o vírus. Então, neste sentido, estamos percorrendo as ruas da comunidade com uma bike som, instalamos outdoors próximo aos acessos dos bairros. Foram produzidos e distribuídos nas ações de sensibilização: Adesivos, folders, cartazes, botons, ímãs de geladeira, para que a informação esteja sempre ao alcance de qualquer pessoa e possa gerar prevenção e assim salvar vidas.

Foram fixadas faixas dentro da comunidade fomentando a necessidade de higienização e distanciamento social e incentivando o uso da máscara e da higienização das mãos, o Fórum Comunitário da Juventude foi acionado, dispositivo criado pelo Grupo AdoleScER e Ruas e Praças, auxiliou no processo de sensibilizações, com ações nas ruas da comunidade que visam alertar as pessoas dos problemas e males da pandemia. Foi criado também um comitê nas comunidades de Caranguejo Tabaiares e Santo Amaro que vem discutindo sobre formas de fortalecer as ações em andamento e propor novas iniciativas que desperte a comunidade quanto aos perigos dessa pandemia. É importante citar que o trabalho em REDE tem feito toda a diferença na caminhada que estamos traçando visando alcançar os resultados esperados pelo projeto.

Ações em parceria com o comércio local também foram estabelecidas com a distribuição de luvas, materiais gráficos de prevenção foram deixados nos estabelecimentos para que os clientes também pudessem ter acesso e a compra das cestas básicas priorizou-se os mercados comunitários, girando a economia local.

Uma das voluntárias do projeto que fortalece todas essas ações, a Senhora Lourdes Clímaco fala que “Nesse momento, ao ajudar o outro, estamos nos ajudando! O corona é invisível, mas a empatia é visível aos olhos de quem se coloca no lugar do próximo e se dispõe a ajudar, da sua maneira. A minha, foi costurando máscaras…”. É nessa corrente que nós seguimos de solidariedade que tem impactado positivamente na vida de centenas de famílias. São essas iniciativas desenvolvidas por instituições sociais que chegam onde o estado se nega a entrar que tem ajudado a minimizar o impacto da pandemia nas periferias.

Julho 2020

Por Milene Eustáquio (Educadora Social – Grupo AdoleScER)