– Agosto 2018 –

O Observatório Comunitário do Grupo AdoleScER, passa a divulgar os primeiros dados de violências que acontecem contra crianças, adolescentes e jovens, em suas comunidades de atuação – Caranguejo/Tabaiares, Roda de Fogo, Santa Luzia e Santo Amaro. Essa série de dados fazem parte da estrutura que é montada pela instituição para fortalecer o trabalho de intervenção em redução da violência comunitária.

Esse projeto do Grupo AdoleScER tem como objetivo contribuir na diminuição dos índices de violência relacionados às crianças, adolescentes e jovens residentes em comunidades de baixa renda. O Observatório Comunitário visou registrar as manifestações de violências, sistematizando informações para guiar projetos de intervenções a partir de nossos educadores e adolescentes líderes de opinião formados na instituição, além disso, tem uma perspectiva de apoio no embasamento para um Fórum Comunitário, que é um dispositivo de fortalecimento comunitário que está sendo implementado pelo AdoleScER e instituições presentes nos bairros e de articulação de diversos atores sociais para discutir políticas públicas e direcionamentos na garantia da melhoria de qualidade de vida das crianças, adolescentes e jovens residentes na cidade do Recife.

O Instrumento foi aplicado pelos adolescentes e jovens líderes de opinião, o que retrata um olhar autônomo sobre o quesito da violência. Os dados gerados, foram categorizados entre “Violências Físicas”, “Violências Verbais”, “Violências Sexuais” e “Violências Diversas”. Desses dados, também, traçou-se um panorama sobre principais características de quem foi “Agredido” e de quem foi o “Agressor”. Vale ressaltar que dessas informações, tanto registramos as violências que acontecem contra crianças e adolescentes, como também, houve o registro de quando estes jovens são os agressores. Entretanto, os dados divulgados abaixo, serão somente dos jovens agredidos.

Para metodologia de coleta de dados, o Grupo AdoleScER utilizou do critério de validação das informações de violências que aconteceram contra crianças, adolescentes e jovens, dos meses de março até a presente data desta divulgação. Assim, as informações são geradas rotineiramente na medida em que a prática de violência vai sendo conduzida, sendo um total de 89 casos registrados nas 04 comunidades.

De forma descritiva, é possível perceber que atualmente a violência mais comumente praticada contra crianças, adolescentes e jovens são às brigas com agressões físicas. Essa informação é acompanhada da violência verbal fofoca e outras violências como o tráfico de drogas, dano ao patrimônio público e roubo/assalto. Essas informações nos mostram que as principais vítimas dessas violências são jovens negros, em sua maioria do sexo masculino, na faixa etária da adolescência e que o local de acontecimento é no ambiente comunitário, ou seja, nas ruas das comunidades.

Essas informações serão essenciais para nortear não somente ao AdoleScER, mas, de incentivar as comunidades a perceberem a cultura de violência existente e os meios para promoção de uma cultura de paz.

Por Tarciso Lucena (Educador Social)