“Para nós, não tinha sentido ensinar ao nosso Povo um puro b-a-bá. Quando aprendemos a ler e a escrever, o importante é aprender também a pensar certo. Para pensar certo devemos pensar sobre a nossa prática no trabalho. Devemos pensar sobre a nossa vida diária”

(Paulo Freire)

Quando no ano de 2000 o Grupo AdoleScER nasce, a instituição se propõe a trabalhar com formação de crianças, adolescentes e jovens, a partir do programa AMIN – Adolescentes Multiplicadores de Informações – que se propunha a ampliar o alcance das atividades desenvolvidas nas formações através da Educação Entre Pares em um processo intensivo de multiplicação de informação, a partir dos educandos e educandas, seja na família, escola e/ ou comunidade.

Em 2013 o programa passa a não mais existir, porém não significou o fim das multiplicações promovidas pelas crianças, adolescentes e jovens. Ocorreu uma reorganização estratégica no Grupo AdoleScER que levou, sobretudo, em consideração, o aumento dessas ações ampliando a capacidade do processo formativo, redução da violência e promoção de uma cultura de paz mediante o empoderamento da juventude sobre diversos temas sociais que possuem relação com o seu dia a dia, que vão desde a consciência sob seus direitos sexuais e reprodutivos à importância da elaboração de um projeto de vida individual e coletivo.

As multiplicações de informações aplicadas pelas crianças, adolescentes e jovens no Grupo AdoleScER possui algumas finalidades, tais como: fazer com que outras pessoas se empoderem sobre temas sociais trabalhados na instituição; instigar a reflexão política dos educandos; enxergar seu potencial de liderança e responsabilidade em uma sociedade conflitante e provocar no outro esse mesmo sentimento.  Paulo Freire diz que “Precisamos conhecer melhor as coisas que já conhecemos e conhecer outras que ainda não conhecemos” (FREIRE, 1989). E é por intermédio dessa reflexão que um mundo de possibilidades e construções sociais são proporcionadas.

O seguimento adotado até a aplicação das multiplicações de informações pelos educandos e educandas é simples: o educador ou educadora da instituição faz o processo de construção e formação do conhecimento nas sedes comunitárias do Grupo AdoleScER abordando um tema social do cotidiano dos adolescentes e jovens; aplica-se um estudo e debate sobre este, com dinâmicas, textos, vídeos, músicas, trocas de opinião, etc. Após o empoderamento por parte do adolescente, se é criado um roteiro do passo a passo da multiplicação, inclusive elencando as responsabilidades que cada um e cada uma irá ter mediante o desenvolvimento da atividade e aplica-se, por fim, em uma escola ou instituição parceria.

Os educandos e educandas identificam os temas a serem trabalhados, organizam-se internamente em um processo de estudos, leitura, pesquisa, aplicam a Multiplicação, avaliam e fecham esse processo na escrita dos diários de campo, que é um instrumento corriqueiro nas atividades da instituição, que constam informações das atividades que foram desenvolvidas.

São quatro comunidades de atuação do Grupo AdoleScER, oito grupos no total, desenvolvendo em torno de duas multiplicações por mês cada, alcançando diretamente em média 3200 à 4000 adolescentes e jovens / ano, incidindo indiretamente em uma população em torno de 70 mil habitantes. A partir disso se gera uma capacidade de alcance dos temas sociais através das multiplicações de forma extraordinária e exitosa, levando-se em consideração que mais escolas públicas aderem ao desejo de que o Grupo AdoleScER vá facilitar momentos como esses em seus espaços e cotidianos escolares através da experiência já implementada em outros locais.

Prioriza-se nesse momento trabalhar com as escolas que há uma parceria com o Grupo AdoleScER, todas públicas, onde estudam os educandos e educandas da instituição que contribuem com a redução da violência no ambiente escolar a partir do seu potencial de liderança juvenil, tornando o processo de organização e implementação das ações mais eficaz.

O desenvolvimento das multiplicações de informações é uma expertise do Grupo AdoleScER que vem gerando resultados significantes à instituição e à sociedade. Contribuir para que uma adolescente não tenha uma gravidez precoce ou que as pessoas comecem a refletir sobre a falta do saneamento básico em suas comunidades, são um dos exemplos que se pode citar. Ampliando as multiplicações, amplia-se a capacidade de empoderamento das pessoas, que consequentemente gera construções sociais e políticas para melhoria da qualidade de vida sobretudo na comunidade.

André Fidelis

Pedagogo, especialista em gestão educacional e coordenador do Grupo AdoleScER